Menu fechado

Soft skills: uma estratégia poderosa no trabalho

O que é Soft skills no trabalho, seu poder sobre nossas carreiras e como podemos melhorá-la.

Soft skills, também conhecida como inteligência emocional são as competências que competem a personalidade e comportamento do profissional. Envolvem aptidões mentais, emocionais e sociais. Podemos dizer que são habilidades particulares, pois nascem de acordo com as experiências, cultura, criação e educação de cada pessoa, entre outros fatores.  

As soft skills também estão relacionadas à sua forma de se relacionar e interagir com as pessoas e afetam os relacionamentos no ambiente corporativo e, por consequência, a produtividade da equipe. Além de serem difíceis de avaliar e não são adquiridas com capacitação técnica. Quanto maior o grau de inteligência emocional no trabalho, segundo o psicólogo Daniel Goleman, autor do best seller “A Inteligência Emocional”, maior a chance do sucesso profissional de um indivíduo. Um funcionário extremamente inteligente, mas com dificuldades de se relacionar, por exemplo, tem poucas chances de ser promovido a cargos de liderança, o que consequentemente pode levar sua carreira à estagnação. Já um profissional que se relaciona bem com as pessoas, tratando-as de maneira afável, gentil e compreensiva, tem mais chances de ocupar cargos de gerência, ainda que não tenha o QI mais elevado da equipe.

O que é inteligência emocional de fato?

Inteligência emocional é a habilidade que alguém tem de reconhecer, avaliar e administrar suas próprias emoções e também as emoções dos outros. Isso se aplica a todas as esferas da vida: no trabalho, na família, nos estudos, etc. Embora a definição de inteligência emocional seja simples, sua prática não é nada fácil. Para desenvolvê-la é preciso autocrítica, reflexão, empatia, paciência, entre outros fatores comportamentais que, na rotina acelerada em que vivemos, têm se tornado cada vez mais raro. Ela depende de fatores subjetivos e individuais de cada um, logo, não é ensinada nas escolas ou universidades como as ciências exatas, humanas e biológicas. Quando muito, ouve-se falar de coaching de inteligência emocional que, como o termo já diz, trata de uma consultoria individual, geralmente focada em gestores e líderes de grandes organizações.

O poder da inteligência emocional

Estudos científicos apontam que pessoas emocionalmente inteligentes superam as pessoas de QI elevado em 70% das vezes, no que diz respeito ao desempenho de suas carreiras profissionais. Isto porque o homem em sua essência é um ser sociável que dá grande importância aos relacionamentos. Isto explica porque aqueles que socializam mais são os que melhor superaram os que dominam uma técnica mais racional.

“As pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas, mas são demitidas pelos seus comportamentos” — Peter Drucker

Quem nunca ouviu essa máxima do mundo corporativo? Peter Drucker sintetizou nesta frase os inúmeros casos de profissionais brilhantes que não conseguem ter estabilidade nas empresas por onde passam e ficam pulando de galho em galho — ainda que uma tendência nesta nova geração. Uma pessoa emocionalmente inteligente possui a capacidade de evitar atritos desnecessários no trabalho, além de saber superar as diferenças com seus desafetos com facilidade e rapidez. Consequentemente, elas não costumam “fazer inimigos”, evitando perseguições profissionais e tendo nos outros maiores aberturas para si. Uma boa abertura nos processos de negociação faz toda a diferença para o sucesso da mesma, não por acaso, quem domina suas emoções de maneira inteligente é um grande negociador. Saber lidar com pontos sensíveis desse processo pode ser decisivo, afinal, nunca se trata apenas de prós e contras descritos friamente num contrato sobre a mesa, e sim, também, sobre a abordagem dos negociadores. Quem nunca ouviu falar de negócios que tinham tudo para dar certo, mas que um mal entendido levou tudo a perder. Não só no âmbito profissional a inteligência emocional exerce enorme poder, nos assuntos familiares, por exemplo, alguém bem resolvido emocionalmente costuma promover um bom clima familiar e excelentes desfechos em casos de desentendimentos.

Inteligência emocional e liderança

Alguém emocionalmente instável não consegue exercer uma boa liderança. Quem perde o controle em momentos de estresse, toma decisões precipitadas sem consultar outras opiniões, sente-se ameaçado por sua equipe e leva para o lado pessoal coisas pequenas do cotidiano, definitivamente não é um bom líder. Os atributos de um líder inspirador geralmente são os mesmos de uma pessoas emocionalmente inteligente: centradas, controladas, autoconfiantes, automotivadas, motivadoras, persistentes e bons ouvintes. É o tipo de líder que a equipe fica satisfeita quando ele chega ao escritório e não o contrário, como aquele que faz as pessoas sentirem um ligeiro mal estar ao dar bom dia.

Pessoas com a inteligência emocional mais elevada não necessariamente estão nas posições de liderança em seus empregos, mas isso não as impede de serem líderes dentro de seus limites. Isto é, a boa liderança pode se dar de muitas maneiras, seja como pais, irmãos, amigos, professores, mentores, estudantes, etc. Para ser alguém inspirador não basta um pedestal com uma plaquinha de líder sob um holofote. Quando se possui inteligência emocional, podemos inspirar as pessoas por meio de uma conversa, um conselho, um elogio espontâneo, uma ajuda voluntária ou uma crítica construtiva. Não é preciso ser otimista ao extremo, “alto astral” constante ou permissivo para ser um bom líder. Às vezes, para motivar alguém é preciso ser um pouco mais seco e direto. Ser inspirador é diferente de ser agradável o tempo todo e estar sempre a procura de aprovação. Ser inspirador é incentivar o outro a evoluir, mesmo que por um instante utilize de um tom mais firme. E é justamente nesse equilíbrio entre ser duro ou mais afável que está a inteligência emocional.

Como desenvolver a inteligência emocional

Segundo Daniel Goleman, a inteligência emocional é composta por cinco elementos principais: a autoconsciência, autocontrole, motivação, empatia e habilidades sociais. Para elevar o seu QE ou Quociente de Inteligência Emocional — utilizado para medir a inteligência emocional — , é preciso dominar o máximo de cada um desses elementos.

Autoconsciência

Podemos estar eufóricos, tristes, entediados, ansiosos, curiosos, irritados, etc. Somos constantemente ocupados por emoções que às vezes demonstramos ou não. As pessoas ao nosso redor podem percebê-las ou não. Podemos deixar que nossas emoções dominem nossas ações ou não. Porém, uma coisa é certa: elas nos influenciam o tempo todo. Por isso que entender sua origem e a maneira como afetam a nós e a quem nos rodeia é fundamental. Para que possamos entender melhor nossas emoções, devemos sempre tirar um tempo para reflexão. Parar e pensar a respeito de como um determinado sentimento se manifestou em nós e como nos comportamos diante dele.

Autocontrole

Como o nome mesmo já diz, trata-se da capacidade de controlar a si mesmo diante de uma situação, seja ela adversa ou não. É saber se conter diante de uma discussão acalorada, não criar expectativas exageradas e não fazer julgamentos precipitados a respeito das pessoas e acontecimentos. O autocontrole também abrange os valores individuais e o quanto somos flexíveis diante de situações que conflitam com eles. Se você acredita que tem a habilidade de chegar a um consenso quando os seus valores divergem dos valores das outras pessoas, sem pré-julgamentos e reagindo calmamente às diferenças de pensamento, então você está no caminho para o autocontrole.

Motivação

Motivação está diretamente ligada a objetivos. Isto significa que para motivarmos a nós mesmos precisamos a todo instante relembrar os objetivos do trabalho na empresa. O mesmo vale para aqueles que são liderados: uma vez que saibam com clareza seus objetivos e as expectativas que a empresa e seus líderes têm, isso se torna um fator de motivação. Devemos refletir com frequência sobre o papel que desempenhamos em equipe e quais as expectativas que têm sobre nós, e em seguida trabalhar para alcançá-las ou até mesmo superá-las, sem deixar que as adversidades sejam maiores que nossa vontade de vencer.

Empatia

Basicamente é sobre saber como se colocar no lugar do outro. É entender como alguém de nossa equipe se sente e compreender suas dificuldades e pontos de vista, ouvindo com a mesma paciência com a qual gostamos de ser ouvidos. É impossível ter a lealdade e confiança das pessoas sem se colocar no lugar delas. O primeiro passo para melhorar a empatia é ouvir o outro e enxergar a situação por sua ótica. Para isso precisamos prestar atenção em sua linguagem corporal e tom de voz, pois muitas vezes as pessoas conscientemente dizem uma coisa, mas inconscientemente estão tentando dizer outra.

Habilidades sociais

Saber se expressar, escolher argumentos, iniciar ou terminar uma conversa, pedir ou oferecer ajuda são exemplos de habilidades sociais importantes no convívio em equipe. Uma vez que melhoramos tais habilidades, contribuímos para o desenvolvimento da inteligência emocional. Para que as habilidades sociais evoluam, precisamos estar constantemente em contato com as pessoas, participando dos happy hours com a equipe, tratando de assuntos paralelos com os colegas, conversando sobre a vida pessoal, etc. Socializar no trabalho é fundamental para aprimorar tais habilidades. Se os cinco elementos citados forem considerados e bem trabalhados, certamente se alcançará um bom nível de inteligência emocional no trabalho, o que resultará na melhora de nossos relacionamentos com as pessoas, além de situações que antes nos afligiam tornarem-se simples de resolver. Até mesmo nossa produtividade aumentará, pois o tempo que era perdido administrando conflitos poderá ser dedicado ao trabalho que realmente importa. Por fim, a vida de todos ficará mais saudável e menos estressante.

Diante de tudo isso, imagine que estar com Informações sempre ao seu alcance, poderá ser um diferencial para sua carreira e sua posição no trabalho. Seja como líder ou liderado, vimos aqui a importância dos Soft Skills para que você esteja sempre ‘bem’ naquilo em que está envolvido e nos times em que participa. A Hubblefy, que tem o propósito de manter as Informações Relevantes sempre disponíveis pode ajudar no compartilhamento das Informações corretas para as pessoas certas, ajudando em saber sempre as suas metas, seus resultados, e o que tem de melhor ao seu redor.

Hubblefy combinado com WhatsApp, Drive e outros apps dinamiza os fluxos de informações.

Experimente o Plano PRO

Solicite abaixo seu teste grátis