Inovação tecnológica e as organizações exponenciais

Posted on in

Saiba quem são as organizações exponenciais e como elas utilizam a inovação tecnológica para alavancar seu crescimento.

Se falamos sobre aproveitar a inovação tecnológica em favor de um modelo de negócio, empresas como Google, Apple, Facebook, Amazon, Uber, Airbnb, Nubank, entre outras startups, são excelentes exemplos, além de características específicas que as tornam organizações exponenciais.

As organizações exponenciais ou ExOs (do inglês, Exponential Organizations), como também são conhecidas, apresentam crescimento rápido em pouco tempo quando comparadas aos concorrentes.

Salim Ismail, autor do livro Organizações Exponenciais: Por que elas são 10 vezes melhores,mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito), compara o tempo médio que as 500 maiores empresas americanas tradicionais levaram para chegar ao valor de U$ 1 bilhão com o tempo em que as ExOs precisaram para atingir o mesmo valor de mercado. O resultado foi o seguinte:

 

Todo esse crescimento vertiginoso não é por acaso, os conceitos de digitalização, dissimulação, disrupção, desmaterialização, desmonetização e democratização — conhecidos como 6 Ds — são a base da inovação para o crescimento exponencial.

Enquanto empresas tradicionais projetam seu crescimento baseado em variáveis do mercado e a extrapolação de resultados anteriores, as ExOs apostam na inovação tecnológica ou de modelo de negócio como principal meio para o crescimento, tendo como base sistemas não-lineares. Além disso, elas não possuem uma cultura retrógrada, permitindo que suas equipes operem com autonomia, transparência e informações descentralizadas.

Pode até parecer clichê, mas o termo “pensar fora da caixa” é o que define as equipes das organizações exponenciais. Não só buscando as melhores tecnologias, como também repensando todas as questões que aparentemente já têm uma solução para propor uma abordagem inusitada e superior à existente.

O que elas têm em comum

Tais empresas apresentavam um Propósito Transformador Massivo (PTM), isto é, o propósito maior da empresa que, a primeira vista, é uma declaração do tipo “sonhar alto demais”, porém, o PTM engaja a equipe para desenvolver um projeto que realmente impacte a sociedade.

Outros 10 atributos comuns são encontrados nas ExOs — elas nem sempre têm todos, mas pelo menos 4 deles. Tais atributos agrupam-se em elementos de criatividade (SCALE) e elementos de controle (IDEAS), sendo 5 em cada.

SCALE

Staff on demand (equipes sob demanda) trata-se de utilizar recursos externos ao invés de ter tudo produzido internamente.

Comunidade e multidão refere-se ao relacionamento com as comunidades e pessoas de interesse para alavancar o crescimento. O Slack soube fazer isso muito bem na comunidade de startups.

Algoritmos diz respeito a utilização da tecnologia para aprendizado a partir de enormes volumes de dados. Google e Facebook são excelentes exemplos, tendo seus algoritmos atualizados constantemente.

Leased assets (ativos alavancados) é utilizar ativos de terceiros para ganhar agilidade, mesmo que esse ativo esteja diretamente ligado ao core do negócio. O Uber, por exemplo, fornece o serviço, mas os motoristas utilizam os próprios carros para realizar.

Engajamento são as técnicas para engajar rapidamente os usuários, promovendo um tipo de viralização. O Hotmail, por exemplo, foi de zero a 12 milhões de usuários em 18 meses por meio das frases “Faça sua conta gratuita no Hotmail” e “Esse e-mail foi enviado via Hotmail, cadastre-se no Hotmail agora” no rodapé das mensagens enviadas.

IDEAS

Interfaces servem para eficiência da comunicação entre os usuários dos sistemas das ExOs. O AirBnb, por exemplo, oferece uma interface que conecta os hóspedes aos anfitriões.

Dashboards são sobre a exibição ágil das métricas de desempenho das ExOs. As dashboards exibem em tempo real as informações do comportamento dos usuários e dos sistemas.

Experimentação resume o uso de conceitos “lean” em ciclos rápidos para desenvolver, testar e analisar seus serviços e produtos.

Autonomia é toda a liberdade dada às equipes das ExOs, visto que elas são organizações extremamente enxutas com equipes multitarefas.

Social se refere a cultura aberta dessas organizações, onde conversas, troca de arquivos e informações contribuem diariamente para o compartilhamento de conhecimentos.

Tal transformação trazida pelas organizações exponenciais é fruto da modernização de processos, gerenciamento de equipes multifuncionais e diversificadas e a exploração da tecnologia para desenvolver novos modelos de negócio. Antes de provocar uma disrupção no mercado, cada pessoa integrante de uma ExO promoveu em si mesmo uma disrupção interna para se livrar das amarras do passado.